descobrindo materiais para confeccionar adereços

Nesta última terça, após um longo passadão (ensaio geral) as crianças iniciaram a confecção de seus acessórios do passado. Os alunos foram divididos em três grupos respeitando suas verdadeiras etnias, quem pertencia a mais de um grupo teve que optar ou em alguns casos participar do grupo com menos integrantes.

Uma vez organizados foi dada a largada e eles não se contiveram e gastaram metade do tempo explorando os materiais e descobrindo novas possibilidades. No final do dia o  CRAS estava repleto de pedaços de fita, florzinhas e pluminhas voando para todos os lados. É claro que as professoras não são tão boazinhas assim não, e, ninguém pôde sair antes de guardar todo o material.

Apesar da aparente bagunça em um tempo de quase uma hora e meia muita coisa  foi realizada. Ao menos, metade dos acessórios da cena “viagem ao passado” já ficou pronta.

Os descendentes de africanos confeccionaram bijus douradas, túnicas, saias aventais e turbantes com prendas rendadas branca e creme. As descentes de europeus decoraram arcos para o cabelo com flores e laços, e tiveram a sua disposição tecidos com estampas florais para os aventais e bandanas. Já os caboclos ou descentes indígenas foram os que enfrentaram mais trabalho, confeccionar braceletes, caneleiras e cocares com pluminhas (feitas de boa) e guizos exigiu deles muita paciência e habilidade manual, assim tiveram que por a prova suas origens. Todos os meninos independente de suas etnias fizeram suspensórios, alguns gravatas e se apropriaram de chapéus de vários estilos, palha, cowboy e tiroles.

 

 

 

Agora vocês podem confirir alguns modelos produzidos e na próxima semana publicaremos mais resultados.